Ser PROFESSOR

sábado, 18 de dezembro de 2010

Boas festas! Aliás, ótimas festas!

Boas festas! Aliás, ótimas festas!

 Neste Natal...
Desejo que a paz reine em nossos lares...
Que a alegria nos acompanhe em cada dia do ano que se inicia...

Desejo que a beleza seja uma constante para nossos olhos...

Que a emoção flua para todos nós das coisas mais simples da vida...
Desejo que possamos dar atenção às causas mais justas...
Que todas as crianças possam ter a felicidade de uma família...
Desejo que o trabalho não nos falte nunca...
Que o amor permaneça em nossos corações...

Desejo que toda a miséria seja extirpada do Mundo...
Que a saúde possa estar em dia...
E que os hospitais tenham um atendimento de qualidade e atendam a todos, sem distinção...

Desejo, com toda minha fé, que acabe a violência contra os seres humanos...


E que todos sejamos felizes!!!
E, mais ainda, desejo te oferecer, com humildade, a minha Amizade e o meu Respeito!

Agradeço de coração por me visitar durante o ano neste espaço, onde ESCRITOS E LEITURAS 
são norteadores deste humilde trabalho.

Feliz Natal e e um excelente 2011!!!
Obrigada por você existir!

Regina
2010 / 2011

domingo, 12 de dezembro de 2010

E o espírito natalino?

Fim de ano, festas de congraçamento pelo nascimento de Jesus. Mas, também, troca de mensagens e presentes.
Seria esse o caminho certo para comemorarmos o nascimento do nosso Pai?
Não, lógico que não!
Os desejos deveriam estar imbuídos de perseverança em dias melhores, em alegria de homenagearmos nosso amado Jesus, em harmonia para com nosso irmão, em fé para que sigamos a caminhada da vida dedicando mais amor e perdão aos que de nós necessitam. Mas não agimos assim!
Nosso “espírito” ainda não se conscientizou de que temos que ver o dia de Natal com outros olhos, pois somos imperfeitos e deixamos nos levar por isso.
Temos que acreditar que esse Natal deverá acontecer a cada dia do ano novo, para que não percamos o “espírito natalino”, que “é sinônimo de "advento", isto é, celebração de um acontecimento radicalmente singular que marcou a história dos homens: Deus que se encarnou na pessoa de Jesus Cristo”.

“Então é natal!
E o que você fez”?

Não o percamos de vista, para que tenhamos um ano novo com este “espírito natalino”, com Jesus no coração.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

TRADUZIR-SE

Minha homenagem a Ferreira Gullar.


TRADUZIR-SE

Uma parte de mim

é todo mundo:

outra parte é ninguém:

fundo sem fundo.


Uma parte de mim

é multidão:

outra parte estranheza

e solidão.


Uma parte de mim

pesa, pondera:

outra parte

delira.


Uma parte de mim

almoça e janta:

outra parte

se espanta.


Uma parte de mim

é permanente:

outra parte

se sabe de repente.


Uma parte de mim

é só vertigem:

outra parte,

linguagem.


Traduzir-se uma parte

na outra parte

- que é uma questão

de vida ou morte -

será arte?



Ferreira Gullar












quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Uma vitória anônima e uma "presente".

Há seis anos venci uma gincana, a Gincana Cultural Professor Autor, quando participaram 2000 professores de todo Brasil. Foi dirigida pela Profª Doutora Sônia Rodrigues e sua equipe. Todas as informações da Gincana encontram-se AQUI, no Portal da Eucação Pública.

Como aconteceu: Quando me inscrevi, trabalhava como CP de uma Escola Municipal da Cidade do RJ.
A Gincana era totalmente online e cada participante tinha uma espécie de bloco de notas, onde digitávamos os textos direcionados a direção. Só após a aprovação é que os mesmos eram postados nas páginas dos participantes.

Foram 4 meses de muita leitura e escrita. Produzi, aproximadamente, 700 textos e, aproveitando alguns, fiz um livro, um verdadeiro diário de bordo_MINHA VIDA, VÁRIAS HISTÓRIAS, da Editora do Autor, 2006, em parceria com o Projeto Abrace um Aluno Escritor.

Ao fim do jogo sagrei-me vitoriosa, não tendo recebido nenhuma felicitação da minha Secretaria de Educação/Gestão 2004, porém os inúmeros elogios de colegas das escolas e da minha família foram o suficiente para aumentar minha felicidade.
Tenho certeza, fosse hoje, se trouxesse o primeiro lugar ao Município, a atual gestão SME/RJ não deixaria passar despercebido, pois temos uma Secretária envolvida com a resolução dos problemas e o sucesso de todos, alunos e professores.

Sinto como foi importante esse desafio para minha vida, profissional e pessoal, e hoje na ABL, Academia Brasileira de Letras, pelo Projeto POESIA NA ESCOLA/SME/RJ, mais uma vez sinto-me lisonjeada em receber, junto à outras colegas selecionadas, uma homenagem que teve a presença do ilustre escritor e acadêmico FERREIRA GULLAR, conforme foto ao lado.
Nas fotos a seguir momentos de alegria e o encontro com a Profª Celia Napole, Chefe da 5ª CRE, a quem tenho muita estima e consideração.

Abaixo, transcrevo o poema selecionado, de minha autoria
TODAS AS MÃES,
que encontra-se na Coletânea de Poesias/2010_ Profissionais da Educação/SME, página 56 [quem diria, meu número de sorte!].

Em algum dia ouvi dizer
Que uma MÃE é o maior bem,
Eu pensava em criança:
Uma mãe o mundo tem.
Mas na verdade cresci
E tudo quanto eu vivi,
Mostrou-me quem se abstém.




As crianças que as tem
Devem dar-lhes muito amor,
Uma mãe não só amiga,
Como tantas, provedor.
Servem como tantos pais,
Pai e mãe, juntos... Demais!
É alimento e cobertor.


E há muitas com fulgor
Que nasceram para dar,
Mesmo que não seja um filho
De seu ventre a gerar.
Esta mãe, tão poderosa,
Forte e bela, tão formosa,
Quer com fé dele cuidar.


E há que a desafiar
Na mais dura profissão,
Fazendo da sua vida
Uma longa previsão,
Para que seu filho tenha
Mais estudos e que venha
A ser um bom cidadão.




Tantas coisas elas são
E se aqui formos listar
Não dará a enciclopédia
Nem um livro a encadernar,
Pois as mães não têm conceito,
Só a elas o direito
De seu filho acalentar.






E as mães, mesmo além-mar,
De todos locais do mundo,
Cada uma de seu jeito
Tem sempre o mais profundo
Amor pelo o seu filho,
Nada é um empecilho,
Tudo faz em um segundo.

Sem seu bem maior, fecundo,
Tudo pode acontecer
Que vai da triste lembrança
Ao morrer no amanhecer.
Qualquer uma vai ficar,
Sem seu bem a embalar,
No maior de seu sofrer.


Ela, Mãe, é um envolver,
Que nos dá muita esperança,
Mesmo que em nossa velhice,
Muito mais quando criança!
Sempre uma bela homenagem
Fazem dela a decolagem
Para sermos semelhança.

Mas não basta uma festança
Temos que dar alegria,
Sendo bons pra toda vida,
Vivermos em harmonia.
Todos nós temos que honrar
Nossa vida e agarrar
Como fosse último dia!

domingo, 14 de novembro de 2010

Três meses!

Já se passaram três meses e você está ficando um rapazinho. Puxa o cabelo, sorri, faz beicinho... Dedo na boca, alegria lhe sobra...
Já tens tantas preferências! Sua irmãzinha, mamãe, as bobagens do papai, o ventilador de teto [rsrsrsrs!!!!], a TV, o banho, passeio de carro... Ah! E uma coisa importantíssima: vais ser o Menino Jesus, num auto de Natal, com seu pai e sua mãe. Não é lindo?
No início da vida [que sempre lhe será muito grata], você já tem muita coisa para contar, imagine quando você tiver seus filhos e netos? E bisnetos?
Mas, nunca esqueça de Deus, Ele é seu norte. Foi Ele quem te deu essa linda história, uma grande história, uma história que jamais será apagada. Veja quanta coisa você consquistou em três meses! Já poderia estar no livro dos records. 
Mas, e eu, na minha babação de avó, fico observando como o mundo hoje é diferente. Você só falta falar. 
És meu anjinho, anjinho que veio alegrar minha vida. 
Mais uns dias você estará todos os dias comigo. Hum... não quero lhe decepcionar. Quero ser a melhor e maior avó do mundo. Quero lhe dar mais e mais amor, carinho, cumplicidade.
Você é lindo, meu bebê!
Te amo!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

DIA DO POETA _ 20 de outubro

*
Mas... O que mais eu queria
Se não parabenizar
O POETA, é seu dia!
Sempre em versos nos brindar.
A poesia, que é constante,
No momento é importante,
Pois que venha a reinar.

Grandes nomes, nossos Mestres,
Com Gregório apareceu [de Matos]
Sentimento em poesia
Este homem nos cedeu.
Assim chegam muitos mais,
É Vinícius de Moraes
Que a poesia e o amor nos deu.

Seguem, Cecília Meireles
[A mulher se fez presente],
Chico Buarque de Holanda
[Até hoje envolvente].
Carlos Drumond de Andrade,
Tem comigo afinidade,
Mas infelizmente ausente.

E nos versos que carrego
Soa forte o sentimento
De passado e presente
De alegria e lamento.
Sigo na estrada da vida
Apendendo, sem guarida,
E a Deus o agradecimento!

Site importante> http://www.clubedapoesia.com.br/index.html

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Dois meses!

Seu sorriso, sua alegria, seu entusiasmo em ser  bebê, me dá uma grande vontade de viver para lhe acompanhar. Dessa forma me faz ter a certeza que dias melhores virão.
Ter você, nos dias de hoje, foi o melhor presente que poderia ganhar. Seu semblante de euforia quando vê sua irmã, nossa! me faz rir com muito prazer.
Enquanto as coisas da vida caminhavam a passos de tartaruga para mim, você chegou com pressa em se mostrar a que veio. Veio para ser e nos fazer felizes!

Você cnseguiu vencer meus obstáculos, acredite? Obstáculos que, pela minha visão, seriam difíceis de transpô-los. E você, com seu jeitinho meigo, conseguiu. Você é a própria sorte, é a própria inclusão do amor.
Que alegria poder estar com você passados seus dois meses de vida!
Decidi escrever hoje, após dez dias dos sessenta de sua vida, justamente para externar que neste dia, Dia da Criança, não é você quem recebe um presente, quem o recebeu fui eu, sua avó.


Te amo meu neto, Enzo!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Ainda bem...

Ainda bem...

Ainda bem, somos amigos,
Ainda bem, ouvimos a voz da razão,
Ainda bem, compartilhamos alegrias,
Ainda bem, ouvimos a canção,
Ainda bem, nunca brigamos,
Ainda bem, não desanimamos,
Ainda bem, espero sua ligação...

sábado, 11 de setembro de 2010

FELICIDADE

"Felicidade foi se embora
E a saudade no meu peito ainda mora
E é por isso que eu gosto lá de fora
Porque sei que a falsidade não vigora"...

Quando Lupicínio escreveu estes versos sua inspiração transcendeu a todas as aspirações. A minha, por exemplo.
Lupicínio soube dar o ar de interior aos anseios do amor, seja ele qual for.

"...A minha casa fica lá de traz do mundo
Onde eu vou em um segundo quando começo a cantar
O pensamento parece uma coisa à toa
mas como é que a gente voa quando começa a pensar..."

O pensamento que voa, voa mais além do mundo, do nosso mundo. 
Saudade... saudade da felicidade sem cortes, sem limites, sem irreverência! Saudade, apenas saudade...
E quando a saudade bate muito forte escuto (AQUI) Caetano, que me embala demarcando meu espaço... colocando um ponto e vírgula, talvez, na minha ansiedade.
Ah, saudade!!!!
RBizarro

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Um mês!

UM MÊS!

Hoje faz um mês que você chegou. Nossa, parece que foi ontem!
Vejo seu rosto, seu corpinho, seus pés, tão pequeninos, e de tênis!
Você é lindo acordado, e dormindo da mesma forma. Faz inúmeras caretas e é preguiçozinho, está sempre se espreguiçando. Ainda não me conhece, mas vai me conhecer e espero que me goste.
Todos os dias vou te ver e não deixo de te beijar, sempre no seu pescocinho tão fofo!
Cada dia que passa você engorda um pouquinho, também pudera, mama e dorme.
Vida de príncipe!
Deus te abençoe e durma com Ele e os anjinhos, meu pequenino rei.

Segue um texto de Jacqueline Ferraz da Costa Marangoni, uma reflexão da figura do idoso ou idosa na sociedade contemporânea.
“As famílias têm passado por mudanças importantes em sua estrutura e função, como efeito das recentes transformações socioculturais e históricas nas sociedades ocidentais. O fenômeno do aumento da longevidade é um dos aspectos que colaboram para as modificações na família, influenciando os relacionamentos entre as gerações e diversificando as funções do idoso na dinâmica familiar. Essa nova realidade pode levar as pessoas a experimentar por um período mais longo o papel de avós e ter um convívio mais íntimo com seus netos”.

domingo, 8 de agosto de 2010

Ser um Educopedista






Quando fui me inscrever
Numa tal situação
Não sabia que faria
Parte da revolução
Chamada Educopédia,
Quase que uma enciclopédia,
Remexendo a Educação.

Um labor_ dedicação
Envolvendo a minha mente
Compartilhando vitórias,
Pessoal e virtualmente,
Fez de mim outra pessoa,
Que a toda hora soa,
Educopedidamente.

Quando me dei mais a frente
Já estava inspirando
Outros colegas da Rede,
Um a um eu fui chamando.
Estes logo se inscreveram
E aos poucos se renderam
Aos chamados do educando.

Aprendendo e errando,
Me tornei contorcionista,
Tenho sempre alguém dizendo
- Vai em frente, não desista!
Leio os comunicados,
Que chegam acompanhados
De palavra progressista.

Hoje Educopedista
De uma era digital
Plataforma, Blog, e-mail,
Tudo muito estrutural.
Eu consulto dicionários,
Livros, websites vários...
Procurando um aval.

Dessa forma, nada igual,
Alunos e professores
Poderão a qualquer hora
Usar os computadores
Da sala de aula e em casa,
Da Lan house e criar asa
Pra voar... Não ter temores.

Desse grupo, co-autores,
Que conjuga o verbo amar,
Nasceu a Educopédia
Procurando revirar
A educação no Rio
Que tem hoje o desafio
De expandir para educar.

E educompartilhar
A nossa felicidade
Somos Educopedistas
Com uma finalidade
Que é de acreditar no Mundo,
Que num piscar, num segundo,
Transformamos de verdade.






RBizarro

Educopediando as vogais

educopédiA



                 Educopédia



   educopédIa



          educOpédia



              edUcopédia

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

NETOS. Luz, câmera, acão!

Cada neto uma alegria diferente.
Parte da gente, vida contente, presente comovente!
Cada dia uma nova esperança. 
Nasce uma criança, herança, esperança, bonança.
Momentos renovados.
Netos amados, netos cuidados, netos crescidos, netos criados.
Calor... emoção. Vida... renovação. Alegria... inspiração.
Que não se faz por um neto?
Que não se constrói para um neto?
 Que não se deixa de ser por um neto?
Ele é a continuidade de nossa existência. Deixamos para trás a juventude, tão legal e esfuziante, mas ganhamos a experiência única de ser mãe avó. Deus me deu por duas vezes a satisfação, a alegria, o prazer; sentimentos inigualáveis que levarei para toda minha vida.
AMO-OS, e com certeza os que vierem.
Todos serão parte de mim, todos terão um "tiquinho" de minhas qualidades, pois os meus defeitos... não, esses não os acompanharão!
Desejo-lhe meu mais novo neto, fruto de um amor gratificante de meu filho e minha amiga nora, irmão da minha princesinha, toda a felicidade do mundo!
Somos uma família feliz!

domingo, 1 de agosto de 2010

SALVE SUA CHEGADA!

Amanhã, dia 2 de agosto, é um dia especial. Nossa, que alegria!
Ele chega... Chega um anjinho neste mundo para aumentar o número de pessoas de bem.
Cada um deles de uma maneira especial e peculiar. Cada um com uma missão: de paz, de união, de graça pela vida.
DEUS nos dá muitas oportunidades de estarmos aqui nos doando àqueles com que temos uma perfeita ligação,a espiritual.
Somos únicos, mas à procura de aperfeiçoamento e por isso convivemos com outras pessoas, também especiais, que estão na mesma busca. Por isso tenho minha família. Somos inteiros, amados, amantes, interligados pela amizade, pelo amor.
E ele chega! Chega para nos dizer algo de bom. Chega para nos mostrar algo de bom, pois sempre dizemos ou mostramos algo a alguém que amamos...
Ele chega com aval de DEUS! Amparado pelos Anjos da Guarda e outros Celestiais, ao som das trombetas esfuziantes que abrem as portas Céu.
Que seja MUITO BEM VINDO!
Que sua vida seja cheia de glórias em todos os sentidos!
Eu te amo desde que soube que você viria. Eu te recebo de braços abertos, assim como recebi sua irmã.
Nossa Senhora, mais uma vez, prova Sua poderosa mão, a mão de Mãe, a mão daquEla que é a Mãe maior de todas as mães, a Mãe de JESUS.
Deus te abençoe meu NETO.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

O que é o certo?

Escuto dizer, pois os entendidos no assunto falam muito, que quando nós achamos que tudo está contra nós é porque nós somos os culpados, ou melhor, os problemáticos. Bem... Eu, pelo menos, não sei se isto é ou não uma regra. Via de fato os casos relatados nos fazem crer que esta seja a verdade, mas qual a verdade para cada um de nós? De certo que tem vezes que nada sai a contento. A chuva molha onde não tem que molhar, o sol esquenta quando saímos de blusa de frio, o congestionamento acontece quando temos hora marcada, as palavras são ditas em horas erradas, escutamos aquilo que não queremos ouvir, falamos aquilo que não deveríamos falar.

Mas onde está a regra, onde está a razão?

Não importa, o que importa é sermos felizes; a vida é para ser bela e vivida com felicidade. A felicidade é aquilo que procuro e que pode estar aqui, neste lugar, neste momento, e não estou conseguindo enxergá-la. Pode ser, também, que eu esteja sendo egoísta comigo mesmo e mais a frente entenda quão foi importante essa conspiração, pois ela pode ser por me querer bem.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

O que é ser "educador", hoje.

"O que é ser professor hoje?
Ser professor hoje é viver intensamente o seu tempo com consciência e sensibilidade. Não se pode imaginar um futuro para a humanidade sem educadores. Os educadores, numa visão emancipadora, não só transformam a informação em conhecimento e em consciência crítica, mas também formam pessoas. Diante dos falsos pregadores da palavra, dos marqueteiros, eles são os verdadeiros "amantes da sabedoria", os filósofos de que nos falava Sócrates. Eles fazem fluir o saber – não o dado, a informação, o puro conhecimento – porque constroem sentido para a vida das pessoas e para a humanidade e buscam, juntos, um mundo mais justo, mais produtivo e mais saudável para todos. Por isso eles são imprescindíveis".
Moacir Gadotti – Boniteza de um Sonho
As aspas do título foram inseridas sob minha visão.

sábado, 19 de junho de 2010

MORREU SARAMAGO

"Morreu nesta sexta-feira (18) o escritor português e prêmio Nobel de literatura José Saramago, aos 87 anos, na cidade de Tías, Lanzarote, Espanha, onde morava desde 1993.
José Saramago havia tido uma noite tranquila e a morte ocorreu por volta das 8h desta sexta-feira, após tomar seu café da manhã ao lado da mulher, a tradutora Pilar del Río. Eles estavam conversando quando o escritor começou a sentir-se mal e logo depois faleceu. Nos últimos anos, ele foi hospitalizado em várias oportunidades, principalmente deivdo a problemas respiratórios.
José de Sousa Saramago nasceu na aldeia portuguesa de Azinhaga, província de Ribatejo, no dia 16 de novembro de 1922, embora no registro oficial conste o dia 18. Filho dos camponeses sem terra José de Sousa e Maria da Piedade, mudou-se para Lisboa aos 2 anos, onde viveu grande parte de sua vida.
O escritor deveria ter sido registrado com o mesmo nome do pai, mas o tabelião acrescentou o apelido pelo qual o chefe da família era conhecido na aldeia, Saramago, que também dá nome a uma planta que serve de alimento para os pobres em tempos difíceis.
Saramago concluiu os estudos secundários em uma escola técnica, mas não pode cursar a universidade por dificuldades financeiras. Sua primeira experiência profissional foi como mecânico. Fascinado pela literatura desde jovem, visitava com grande freqüência a Biblioteca Municipal Central Palácio Galveias, na capital portuguesa. Foi só aos 19 anos, com dinheiro emprestado de um amigo, que conseguiu comprar pela primeira vez um livro.
Além de mecânico, o escritor português trabalhou como desenhista, funcionário público, editor, tradutor e jornalista. Durante doze anos, foi funcionário de uma editora, onde ocupou os cargos de diretor literário e de produção.
Publicou o seu primeiro romance, Terra do Pecado, em 1947. Em 1955, começou a fazer traduções de autores como Hegel, Tolstói e Baudelaire para aumentar os rendimentos. Seu próximo livro, Clarabóia, foi rejeitado pela editora e permanece inédito até hoje.
O escritor só publicaria um novo livro, Os Poemas Possíveis, (1966), dezenove anos depois do primeiro. Entre 1972 e 1973, foi comentarista político do Diário de Lisboa, coordenando durante alguns meses o suplemento cultural do jornal. Em um espaço de cinco anos, publicou sem grande repercussão mais dois livros de poesia, Provavelmente Alegria (1970) e O Ano de 1993 (1975).
O escritor fez parte da primeira diretoria da Associação Portuguesa de Escritores. Entre abril e novembro de 1975 foi diretor-adjunto do Diário de Notícias, quando os militares portugueses, reagindo ao que consideravam os excessos da Revolução dos Cravos, demitiram diversos funcionários. A partir de 1976, o escritor português passou a viver exclusivamente de seu trabalho literário.
No ano seguinte, o autor voltou a escrever romances, gênero que o tornou mundialmente conhecido. A partir desta época, sua produção literária cresce consideravelmente, mas é em 1980 que Saramago dá uma grande guinada em sua produção literária, com a publicação de Levantado do Chão.
Segundo diversos críticos, a obra marca o início do estilo que o consagrou, destacado por frases e períodos extensos, que as vezes ocupam mais de uma página e são pontuados de maneira anti-convencional. Os diálogos entre os personagens costumam aparecer inseridos nos próprios parágrafos que os antecedem, de forma a extinguir o uso de travessões em seus livros.
Com a censura do governo português à apresentação do livro O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991) para o Prêmio Literário Europeu sob alegação de que a obra ofendia os católicos, o escritor mudou-se para a ilha de Lanzarte, nas Canárias.
Em 1993, Saramago começou a escrever um diário, Cadernos de Lanzarote, em cinco volumes. Dois anos depois, publicou o romance O Ensaio Sobre a Cegueira, que será transformado em filme em 2008, com direção assinada por Fernando Meirelles.
No mesmo ano em que publicou Ensaio Sobre a Cegueira, recebeu o prêmio Camões e em 1998, foi laureado com o prêmio Nobel de literatura, o primeiro dado a um escritor de língua portuguesa.
"Estava no aeroporto prestes a embarcar quando chegou a notícia de que tinha ganho o Prêmio Nobel. Houve um momento de alegria, os meus editores de Madrid, que estavam comigo, abraçaram-me. Depois encaminhei-me na direção da saída e, por mais estranho que pareça, era um corredor muito comprido e deserto. Eu com a minha malinha de mão, com a minha gabardina no braço, passei de repente da alegria enormíssima da notícia que tinha recebido, para a solidão mais completa. Naquele momento a sensação que tive, claro que eu dava por mim numa grande alegria, era uma espécie de serenidade: pronto aconteceu", afirmou o escritor sobre o prêmio.
Considerado por especialistas um mestre no tratamento da língua portuguesa, em 2003 o escritor português foi considerado pelo crítico norte-americano Harold Bloom como o mais talentoso romancista vivo. Seus livros foram traduzidos para mais de vinte línguas, como sueco, romeno e húngaro.
Comunista ferrenho, Saramago teve sua carreira pontuada por polêmicas causadas por suas opiniões sobre religião, terrorismo e conflitos. Em entrevista ao jornal O Globo, Saramago criticou a posição de Israel no conflito contra os palestinos, afirmando que "os judeus não merecem a simpatia pelo sofrimento por que passaram durante o Holocausto".
A Anti-Defamation League (ADL), um grupo judaico que defende direitos civis, caracterizou estes comentários como sendo anti-semitas.
O ano de 2004 destaca-se pela publicação de Ensaio Sobre a Lucidez. No ano seguinte, Saramago escreveu As Intermitências da Morte, em que divaga sobre a vida, a morte, o amor e o sentido, ou a falta dele, da nossa existência, fazendo uma crítica a sociedade moderna.
O escritor lançou também As Pequenas Memórias, em 2006, A Viagem do Elefante, 2008, e Caim, no fim do ano passado. O último retorna ao tema da religião em um romance que lembra seu controvertido O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991), obra que despertou forte polêmica em Portugal, país de grande tradição católica.
No início do ano, José Saramago lançou uma nova edição do livro A Jangada de Pedra (1986), que teve toda a sua renda revertida para as vítimas do terremoto no Haiti.
Atualmente estava preparando um livro sobre a indústria do armamento. "Não será sobre o Corão, mas será sobre algo tão importante quanto todos os corões do mundo: por que não há greves na indústria do armamento. Uma greve na qual os operários digam: 'Não construímos mais armas'", afirmou, em entrevista em novembro.

Saramago no cinema

Em 2008, o cineasta Fernando Meirelles fez o filme Ensaio sobre a Cegueira (Blindness), baseado no livro homônimo do escritor, lançado em 1995. A produção abriu o Festival de Cannes do ano em que foi lançada.
No elenco estão os veteranos Julianne Moore, Mark Ruffalo, Danny Glover, Gael García Bernal e a brasileira Alice Braga. O filme foi gravado em Toronto (Canadá), Montevidéu (Uruguai) e São Paulo (Brasil).

Família
Saramago casou-se pela primeira vez em 1944 com Ilda Reis, com quem teve uma filha, Violante, que nasceu em 1947. O escritor permaneceu casado com Ilda por 26 anos.
Após se divorciar, em 1970, iniciou um relacionamento com a escritora portuguesa Isabel da Nóbrega, que duraria até 1986.
Em 1988, o prêmio Nobel de Literatura casou-se novamente com a jornalista e tradutora espanhola María Del Pilar Del Río Sánchez, com quem permaneceu até a sua morte".

Literatura Periférica

sábado, 5 de junho de 2010

O menino e o meio ambiente

              Era uma vez um menino que se chamava Enzo. Ele respeitava a natureza. Sabia que se ele e seus colegas sujassem as ruas, quando a chuva chegasse iria inundar todo o bairro. Por isso, Enzo convocou seus coleguinhas para que todos fizessem um mutirão de limpeza antes que o verão chegasse, pois é no verão que acontecem mudanças rápidas do clima, com ocorrência de chuvas de curta duração e de forte intensidade, principalmente no período da tarde.
            Foram dias de muito trabalho, mas Enzo conseguiu conscientizar muitas outras crianças e até seus pais.
            Ele ficou conhecido em seu bairro como o “menino do meio ambiente”.
http://sitededicas.uol.com.br/clip_ecologia2.htm

domingo, 30 de maio de 2010

Aulas digitais, uma nova ferramenta da mídia no mundo contemporâneo

"Pesquisas científicas demonstram que esforços para viabilizar o reforço da aprendizagem têm grande impacto no desempenho acadêmico dos alunos. A Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro acredita nisso e deseja criar várias oportunidades por meio das quais seus alunos possam passar por esse reforço. Uma delas é via digital, em páginas na internet onde os alunos poderão consumir conteúdos e praticar o que foi ensinado. Esse reforço digital será disponibilizado por meio de aulas digitais auto-explicativas, reunidas em um site que foi batizado de Educopédia".
http://tonomundo.nce.ufrj.br/educopedia

Assim tudo começou. Uma amiga me escreveu falando sobre a seleção do Educopédia. Dizia que eu, como gostava de trabalhar e pesquisar em PC, poderia participar. Fui de encontro a este  novo desafio e aqui estou, feliz por ter sido selecionada após dois fins de semana  fazendo parte de Grupos de Estudos e Especialistas.
Deverei estar direcionada para este trabalho tão  importante e inovador como o EDUCOPÉDIA, que será desenvolvido por um grupo de pessoas liderado por Rafael Parente, Subscretário de Assuntos Estratégicos da SME/RJ.
Mais um desafio no ar, aliás minha vida é feita de desafios e agradeço a Deus por me dar tantas oportunidades e de colocar a prova minha capacidade de lidar com o novo.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Decretando a felicidade...


DECRETANDO A FELICIDADE...

Fica decretado que a tristeza sairá de forma,
Que a alegria será a primeira da fila;
Fica decretado que o homem será feliz
E que a Terra seguirá seu rumo, sempre protegida.

Fica decretado que todas as crianças terão famílias,
Que a humanidade terá boa alimentação;
Fica decretado que não haverá mais doenças
E que o Planeta seja livre da destruição.

Fica decretado que todos terão educação,
Que a sociedade será mais justa;
Fica decretado que a política será sempre social
E que o homem será o melhor amigo do meio ambiente.

Fica decretado que a poesia norteará a vida,
Que nos contos prevalecerão o tema solidariedade;
Fica decretado que todos terão acesso ao livro,
Sendo este o companheiro de todos os homens.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

CHOVE...

Chove muito, toda hora, a natureza está em prantos e nós, seres humanos que vivemos no terceiro milênio, depois de deixarmos marcas de destruição no meio ambiente, observamos a destruição da natureza que reclama sua parte.
Fizemos aterramento; levamos lixo aos rios, ao mar; gastamos nossas reservas naturais que ficam abaixo da terra, de forma desordenada. Somos mais desumanos que imaginamos.
Vez ou outra o ambiente natural vira sobrenatural.
Ainda há tempo de deixarmos um mundo melhor! Façamos nossa parte. Sejamos solidários com o ser humano, mas não esqueçamos jamais do nosso Planeta.
Sem ele nada feito.